Meu estopim

By 23:55 , ,

Foi numa dessas festas em que toda a cidade vai, que eu fui também, e lá estava você. O vi pelas vidraças ainda antes de entrar, e,  já dentro, minhas amigas tentaram de tudo para evitar que visse você, que a gente esbarrasse, que começasse qualquer tipo de diálogo.
Eu queria ir para um lado, elas alegavam estar muito quente, eu queria a outra pista de dança, me disseram que estava cheia. É, moreno, elas estavam evitando que encontrasse você.  Porque essa era a primeira vez que saía desde o que aconteceu, a primeira vez em que sequei as lágrimas e usei o pó de arroz pra alguma coisa útil, ele realmente disfarça olheiras.
Foi a primeira vez em trinta dias em que tirei o pijama, e penteei os cabelos. Coloquei um vestido puro brilho, pra disfarçar o opaco dos meus olhos. Um salto alto, pra mascarar o meu astral, e um batom vermelho, que disfarçava qualquer coisa que tivesse me escapado. Foi a primeira vez que resolvi ver como o mundo andava, e olha só, tudo parece normal.
O universo, as energias, os astros, ninguém, ninguém além de mim viveu a sua partida, moreno. Eu permaneci lá, coberta até o último fio de cabelo por um relacionamento exaustivo que acabou em traição. Logo comigo, que sempre julguei o traidor e o traído. Só que eu fui a traída. E pensar nessa frase composta me humilha mais do que qualquer ofensa sobre minha aparência, e sabe o quanto ligo para ela. Ninguém ficou aqui comigo, juntando os pedaços de mim que foram se espalhando por aí.
Tinha você por tudo, rapaz. Desde o chinelo na porta, à escova de dente ao lado da minha. Até meu maldito vestido favorito tinha o seu perfume. Mas já faz trinta dias, cara, trinta dias que passei me afogando em potes de sorvete regados a romances clichês que só ajudaram a arrancar todas as lágrimas que tinha em mim. Era melhor dizer que estava chorando pelo filme, do que por você.
Eu fui a idiota que ficou ali e chorou por você, enquanto devia estar exatamente no lugar em que te encontro agora, né? Conta pra mim, você não sentiu nem um pouquinho. As ligações cessaram no quarto dia, mas poderiam ter durado quarenta, que não atenderia. Porque você não merecia mais, nem chances nem lágrimas. Foi por isso que justifiquei meu choro como sendo por mim, pelo tempo que perdi, por quanto me desgastei, pelo amor que te dei.
E agora, montada com o melhor que tenho no guarda-roupa, só consigo assistir às minhas amigas se empenhando para me manter longe dessa droga que você se tornou, que me levou ao fundo poço e causou isolamento espontâneo. E fico pensando quando foi que tudo ficou assim.
Quando foi que as pessoas começaram a perceber? Quando foi que elas tiveram de me proteger como muralhas, para não esbarrar em você? Quando foi que encontrar com você, passou a significar um estopim para choro ou, quem sabe, uma bebedeira infinita? Quando foi que eu adquiri essa aparência frágil que reflete no espelho da casa noturna? Quando foi que batom vermelho passou a não resolver as coisas, moreno?! É BATOM VERMELHO, ELE PRECISA RESOLVER!
Quando foi? Ah, rapaz, eu não sei quando foi, mas eu sei o que foi. E o que foi, moreno? O que foi?
A gente é que foi.
A gente aconteceu.


— Bruna Barp






Foto: We heart it

14 comentários

  1. Post profundo são esses que são bem interessantes adorei .

    www.sheilacardoso.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahah muito obrigada, Sheila!
      Seja bem-vinda ao blog, beijinhos da Bru!

      Excluir
  2. Eita, que post lindo, apesar de muito triste :(
    A escrita está maravilhosa, até me deu uma dorzinha no coração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahah é, Carol, tristinho hahah
      E muito obrigada!
      Beijinhos da Bru!

      Excluir
  3. Uauh!
    Embora triste e profundo, muito lindo!
    Parabéns pelo post ;)

    www.espelhomania.com.br

    ResponderExcluir
  4. Perfeito como sempre, Bru! Seus textos são maravilhosos, sua escrita é muito boa!
    Eu gostaria de saber uma coisa: quais são suas inspirações? Suas aspirações? Suas bases para textos tão profundos, por vezes simbólicos?
    Quanto mais leio seus textos, mais me pergunto se ao ler cada um deles, estou lendo você nas entrelinhas. Será? Ahuaheuha se for, sua vida é muito bem escrita, apesar dos altos e baixos (que, apesar dos pesares, todos temos), das bebedeiras e do não efeito do batom vermelho. MAS É BATOM VERMELHO, POXA! Tem que ter aquele close, aquele brilho, aquela magia de dar um tempo nos problemas, nas reticências da vida, nas dúvidas que insistem em imitar uma escola de samba a todo vapor na nossa cabeça!
    Se o vermelho não ta bastando, passa um preto pra ver se tem um impacto parecido, bora tentar? Não custa nada, afinal.
    Ahuahsuahs comentário muito grande, igual da última vez, desculpe! huehuehue
    Um abraço, Bru! Continue assim! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Liz! Muito obrigada pelo elogio a minha escrita ♥
      Bem, minhas inspirações em relação a forma de escrever vem dos livros que leio(♥) e em relação aos assuntos, algumas inspirações surgem de músicas, outras eu simplesmente leio uma frase e a ideia surge, ou(quando fico divagando sobre ideias para livros) aparece uma outra hahah
      Sobre minhas aspirações: aspiro me formar no curso de Letras, me tornar uma escritora oficialmente e viajar pelo mundo(para que minhas histórias possam acontecer em vários locais HAHAH).
      Quanto aos textos, geralmente não sou eu neles. Como assim? A gente precisa imaginar, né? Por exemplo nesse, digo que ela foi traída, mas nunca fui. Já o fato de ter vontade de fazer um escândalo ou beber até dizer CHEGA por ver alguém HAHAHAH esse sim! Então eu misturo imaginação com fatos, na maior parte, mas há alguns que sim, tratam-se apenas de mim em todas as linhas. Outros que é apenas minha imaginação, varia.
      Sobre o batom preto: BORA TENTAR! HAHAH Quem sabe, né?
      Amo comentários gigantescos, então está ótimo(pode continuar assim HAHAHAH)!
      Muitos beijinhos Liz, e obrigada outra vez! ♥

      Excluir
  5. uaaau. Que tapa na cara da sociedade hahaha Ameeeeeeeeei <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahah obrigada Giselle!
      Beijinhos da Bru! ♥

      Excluir
  6. Meu Deus! Eu to apaixonada <3
    "Coloquei um vestido puro brilho, pra disfarçar o opaco dos meus olhos." Simplesmente amei essa frase <3 Você escreve muito bem, sabia? Podia escrever um livro!
    Amei muito!
    Beijos!

    http://efeitodiamante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhhhh Beatriz! ♥ Muito obrigada! E que bom que amou!
      Não conta pra ninguém, mas estou escrevendo, tá? HAHAH
      Beijinhos da Bru!

      Excluir
  7. Que coisa mais linda. Sua escrita é maravilhosa.
    Parabéns pelo texto, vc é incrível <3
    Beijo

    https://criativob.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigaada, Ariely!♥
      Beijinhos da Bru!

      Excluir