Na verdade eu nunca te amei

By 00:11 , ,

Vou começar com um pedido de desculpas, é, acho que sim.
Desculpe-me, moreno, eu achei que poderíamos dar certo. Desculpe-me por ter aceitado o pedido de namoro, aquele dia no parque, acompanhado de balão e churros. Eu achei que poderia fazer isso, sabe? Para ser honesta, ainda acho que existem pessoas capazes de aprender a amar outra, porque quer, porque faz bem ou porque o outro a ama. Mas esse não é meu caso.
Eu descobri, moreno, que por mais agradável que seja estar ali, ao seu lado, por mais que eu te queira bem e de maneira alguma deseje causar qualquer dano, eu não te amo. Eu não te amo e dizer isso em voz alta é um favor que faço a nós, meu caro. Um pouquinho de afeto não me basta, um pouquinho de amor também, e não, não digo que recebo pouco afeto ou pouco amor, ao contrário, você me dá muito deles, mas eu não sinto. Eu não sinto mais que pouquinho afeto ou mais que pouquinho amor por você, pela gente, por essa relação.
E o desgaste emocional que isso me traz, acredite, é bem grande. Enquanto escrevo esta carta após dizer-lhe que não o amo, quero deixar claro que não foi falha sua, não, em momento algum. Foi minha, desde o começo, e não posso dizer que “não te amo mais”, porque na verdade, nunca te amei. Gostar a gente gosta de muita gente, apreço a gente tem por bondade, carisma, mas amor, rapaz, aquela paixão de fazer as pernas bambearem, bom, isso eu nunca senti.
Então, antes tarde do que nunca, eu decidi colocar os pingos nos I’s, e terminar com isso tudo. É covardia minha levar mais meses, ou até anos, para tomar coragem de dizer o que já pode ser dito agora. Seria errado da minha parte usar desse teu amor para me sentir segura, para ter um bote salva-vidas, ou para alimentar meu medo de não ter alguém. É por isso, meu bem, que resolvi pensar em mim.
Pensar na pessoa que estou deixando pelo caminho ao insistir nisso. Pensar no tanto que essa relação me sufoca sem querer, e em como estou morrendo sem protestar. Resolvi pensar que, se o problema sou eu que não sei lidar com você, nossa relação que realmente não tem futuro ou eu que ainda não estou pronta para destruir a barreira emocional que me envolve, não importa, o que importa é que preciso olhar para mim.
Tenho que lembrar da pessoa que há aqui, escondida e reprimida, mas pronta para sair correndo! Tenho de lembrar que aqui dentro ainda mora alguém, alguém com um medo terrível de magoá-lo, mas com as expectativas e planos saltando das veias! Alguém que precisa se libertar, libertar você, e ir viver.
Olhar no espelho e saber que eu não tenho obrigação de levar as coisas adiante só porque não há um motivo catastrófico para justificar minha renúncia. Que não preciso justificar as coisas inventando desculpas sobre haver outro alguém, ou sobre não te amar mais. O motivo é que eu não quero mais, moreno. E estou libertando nós dois disso antes que seja tarde, antes que o apego me impeça de abrir as algemas que me prendem a ti. Antes que o apego me faça desistir do amor.

É por isso que eu tenho que dizer: vai. Vai, porque eu já fui, eu nunca nem vim.

— Bruna Barp



OBS: O texto em NADA tem a ver com a vida pessoal da autora. A situação e personagens são apenas fictícios. 



Foto: We heart it

10 comentários

  1. Seus textos são maravilhosos e cheios de sentimento, parabéns <3

    http://pinkisnotrose.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol! Muuito obrigada! ♥
      Beijinhos da Bru!

      Excluir
  2. Oh meu coração ♡
    Eu li a primeira frase do texto, voltei pra o título e pensei: será? Será que é.. Aquele texto?
    Me arrepiei dos pés a cabeça enquanto lia, enquanto me lia em cada linha. É impressionante! Você descreveu exatamente o que eu sinto desde o momento que ele me perguntou 'por que está terminando?'
    E eu travo na hora, sabe? Eu simplesmente quis terminar, mas já não lembrava o motivo, meu querer se bastava, mas eu não sabia explicar isso pra ele. Imagine minha surpresa ao ler um texto que diz o que estou há semanas tentando esclarecer pra ele e pra mim mesma! Você não existe, moça! ♡
    Amei o texto, amei o tema, amei tudo! Inclusive a foto do We Heart It :3 huehaeheua
    Obrigada, paz pra nós! ♡
    E liberdade também! Uehauehauhe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lizzz, linda!
      Sim, é Aquele texto e fiquei com receio de fugir do tema, ao fim de tudo, acho que deu certo, né? HAHAH Quando o querer da gente se basta, não é preciso dizer outra coisa, pelo menos pra gente, a justificativa está ali. Sobre ter-se lido, então atingi meu objetivo. Acho que travar é normal, já que não é fácil explicar a alguém que não queremos mais estar com ela. Mas se libertar, no fim, vai proporcionar uma sensação tão boa que nem ele nem tu terão arrependimentos. Se era para ser, tinha sido.
      E muuuuuito obrigada! Falei que ia demorar, mas vinha HAHAH ♥
      Paz, e muita, mas muita liberdade!

      Excluir
  3. Gosto de textos que me fazem sentir no lugar da pessoa que escreveu, e exatamente assim que me senti com o seu! Já estive uma situação quase igual e compreendo cada palavra que escreveu. Mas é, o amor ele não nasce com o tempo, ele tá lá desde o início, não adianta se esforçar para ele aparacer.
    Beijos!
    http://virandoamor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Isa, fico muito contente que tenha se sentido no lugar da personagem! ♥ E concordo COMPLETAMENTE com o que disse sobre o amor não nascer com o tempo, sem dúvidas, ele não nasce. Ou pelo menos não comigo HAHAHAH com nós, no caso HAHAH
    Beijinhos da Bru!

    ResponderExcluir
  5. Adorei! Não devemos permitir e persistir em uma relação que não nos basta, que permaneçamos incompletos a todo momento, isso nos faz mal e com certeza causa danos que podem ser irreparáveis para a outra pessoa. É sempre muito difícil dizer chega, para o outro e para nós, mas é necessário para que possamos crescer como pessoas, é assim o caminhar para o amor, cheio de barreiras, e muitas delas são postas por nós mesmos.
    Beijos, adorei sua publicação!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!Concordo contigo, muitas barreiras são impostas por nós, mais do que possamos imaginar ou dar-nos conta!
      Muito obrigada, beijinhos da Bru!

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir